terça-feira, 28 de abril de 2009

O fiel escudeiro

Muito se fala em pilotos escudeiros, aquele fiel companheiro que auxilia o piloto principal em busca do campeonato, mas ninguém merece mais este título do que Francois Cevert, fiel escudeiro de Jackie Stewart, na Tyrrell no começo dos anos 70. Até hoje é considerado uma das duplas de maior sucesso na Fórmula 1.
Francois Cevert era um piloto de técnica apurada e de grande carisma fora das pistas (considerado um galã). O francês teve uma trajetória rápida na Fórmula 1, porém marcante. Chegou a ser considerado por muitos um futuro campeão. As chances estavam a favor de Cevert, de fiel escudeiro passaria a piloto principal no ano seguinte, já que Stewart se aposentaria após a ultima prova do ano em Watkins Glen. Quis o destino que esta pista foi palco de sua única vitória em 1971 e dois anos mais tarde de sua morte. Cevert teve sua carreira encerrada em um brutal acidente nos treinos para o GP dos Estados Unidos em 1973.

Francois Cevert

1971

Watkins Glen, 1971

Comemorando sua única vitória em 1971 (Watkins Glen)

1972

Cevert em Mônaco 1973

Cevert em Watkins Glen momentos antes do acidente fatal

5 comentários:

Cezar Fittipaldi disse...

You really are a goddess....congratulations....

Vinicius Soares disse...

Cevert era considerado um dos homens mais bonitos do mundo na época, mas isso não influenciou de forma negativa seu temperamento. TODOS gostavam dele e sua morte brutal foi realmente lamentável. Há um vídeo de Stewart falando com ele sobre a cur serie de curvas onde aconteceu o acidente. Cevert dizia que fazia as curvas com o motor cheio, saindo mais rápido e ganhando tempo. Stewart, por sua vez, dizia que era melhor fazer as curvas em marcha mais fraca, evitando perder a traseira do carro por conta das ondulações naquela parte da pista. Infelizmente o jovem não seguiu os conselhos e acabou morrendo decapitado.
Realmente, uma perda lamentável.

Goddess disse...

Vinicius,
Tb já vi este video, além de ter li a respeito dos conselhos que o Stewart deu para o Cevert antes, mas a impulsividade acabou vencendo, e acabou acontecendo o acidente. Dizem que quando ficou sabendo do acidente, o Stewart pegou o carro e deu uma volta da maneira que o Cevert tava fazendo, ele queria saber e entender como tinha acontecido o acidente. Depois disso, nunca mais voltou a pilotar.

Cezar,
Thank you very much.... ;-)


Paty

Bruno Santos disse...

Um dos meus pilotos favoritos, assim como o próprio Stewart. Muito legal a relação entre os dois companheiros de equipe.
Mas o destino as vezes é estranho...
Também vi um vídeo sobre o desespero ao saber da notícia nos boxes, estavam o Colin Chapman, o Emerson...pior que teve corrida normalmente como é tradicional na Fórmula 1...
Abraços

Marcos Antônio Filho disse...

Na época todos seguiam a risca de que o show tinha que continuar, a morte de Cevert foi brutal e mesmo assim teve corrida. um grande piloto que dirigia um carro belíssimo. ele seria alçado a piloto número 1 da Tyrrell em 1974, mas quis o destino que não acontecesse...